terça-feira, 11 de junho de 2013

A OPINIÃO DO BÁVARO CAVADOR




















Por Ricardo Gothe

Conta a história que no início da industrialização no mundo uma das primeiras reações dos homens diante da ameaçadora novidade, foi a de quebrarem as máquinas. No caso dos novos estádios no Brasil, guardando-se as proporções, precisaremos passar por um período de adaptação. O jogo do Brasil diante da França já mostrou avanços e que avançar mais será preciso. Breve teremos no país uma geração que já nascerá para o futebol em estádios como eles devem ser do ponto de vista de tecnologia, conforto, logística, etc. Então ao ler sobre a história nos perguntarão como suportávamos os nossos tempos. É normal que para cada um o “seu tempo” tenha sido o melhor, as músicas eram melhores, as festas, o cinema, o futebol, as cidades, vai ser sempre assim.


O iMAGEM da última sexta no REVISTA do Gothe Gol deu destaque ao trabalho do Dani Junqueira na AFUMEPA. Reconhecido agregador e apaixonado pelo Futmesa, é notório o quanto as associações que o tem no grupo ganham em trabalho, expressividade e boas relações. Aconteceu com o Círculo Militar, acontece agora com a AFUMEPA. A sensibilidade entre preservar o que há de bom e alterar radicalmente o perfil do que deve ser mudado, talvez seja o ingrediente principal de sua forma de condução. Tradição e visão de modernidade nunca foram antagonistas como alguns imaginam. O amigo e parceiro de botonismo e Arena vai mostrando com habilidade como estas são condições que podem andar juntas, absolutamente sintonizadas.

O Grêmio não tem um time melhor ou pior a qualquer outro deste brasileiro, tem como qualquer um deles fragilidades neste ou naquele setor. Nem a presença de Koff nos tornou mais vencedores, nem Luxemburgo é menos treinador do que Cuca, Abel & Cia. Algumas apostas em jogadores não deram o retorno esperado, precisam ser revistas. Até aqui o “tropeço” no brasileiro acontece fora de casa em um clássico, é quando podem acontecer. Perder pontos para o grupo de equipes que nada aspira no certame é o que não pode acontecer. Um bom resultado contra o São Paulo no jogo em atraso amanhã, coloca o “clima” no devido lugar e permitirá os ajustes para o retorno após a Copa das Confederações. Não vejo a Direção preocupada na aquisição de um novo zagueiro, Bressan não pode ser o titular da posição. Estou também convencido de que Elano e Zé Roberto não podem compor juntos o meio de campo, é preciso alterná-los, Elano sobretudo. Se não ajustarmos a defesa no entanto, de nada adiantará novos jogadores para o meio, nem o jovem uruguayo Max Rodriguez e nem o tarimbado paraguaio Cristian Riveros que já chegou a Porto Alegre.

O Flu deve terminar como líder do brasileirão nesta primeira etapa do campeonato, até a pausa da Copa das Confederações. Quais as grandes surpresas das primeiras 5 rodadas ? Os baianos sem dúvida, o Vitória vai para a pausa no G4 e o Bahia bem colocado com 8 pontos na tabela. Tudo com uma boa colaboração gaúcha.

A expectativa neste mês de junho é para a realização do Estadual de Equipes de cavados no Cassino, tem tudo para ser uma boa competição com a presença de boa parte dos clubes filiados a FGFM, talvez a mais representativa sob este aspecto. A Riograndina jogando em casa é a favorita, mas até a geografia conspira para a presença da tradicional Academia de Pelotas que agora dedica-se ao liso, e outros clubes com forte tradição devem estar presentes como APFM, COP, AFUMEPA, AFUMERG, Sta.Vitória, a própria AFM Caxias conhecida mais pelos lisos e com boas possibilidades de presença estão Geraldo Santana, Canguçu, Círculo Militar e Franzen. Manchester FM, ABP, e Guaíba seguem esperadas no Cassino, mas ficam no terreno das expectativas.

Vi alguma evolução da seleção brasileira na vitória contra a França na Arena do Grêmio, mesmo que a França não tivesse o mesmo comprometimento com  o jogo. Outro dia vi o México pelas eliminatórias para a Copa 2014 contra a Jamaica e a verdade é que todos andam um tanto japoneses, eles próprios inclusive. Talvez hoje o cenário mostre Espanha, Alemanha e quem sabe a Holanda num estágio melhor que os demais, mas é possível perfeitamente competir com elas com alguns ajustes e há tempo para isso.

5 comentários:

Pedro C Hallal disse...

Como está a campanha do Editor no campeonato interno do Geraldo Santana?

Aposto que se fosse nos "rápidos", ele estaria na liderança.

Ricardo Gothe disse...

Camarada Pedrinho,

não participo neste primeiro semestre, vou tentar no segundo. Nos lisos sabidamente já tenho caneco este ano, rsrs...

Abraço,
Gothe.

Dr.Maia disse...

Vou passar por lá para dar um abraço na gurizada. Como fui punido na competição passada vou estar privado de apresentar meu singular futebol de mesa.

há braços para todos, menos aos que me puniram. hahahahah!

Pedro C Hallal disse...

Eu aposto no Gothe para campeão do segundo turno no Geraldo Santana.

Dr. Maia, esteja lá, para darmos umas risadas.

Dr.Maia disse...

Fala Pedrinho,
Vou aparecer por lá, provavelmente, no Sábado pela manhã.
Há braços,